Sobre as oportunidades que a gente deixa passar e "Simplesmente Acontece"

Hi, my lovely readers!!! Como estão? Espero que muito bem!
Nossa, acabei de assistir ao filme Simplesmente Acontece (Love, Rosie) e senti uma ânsia enorme de escrever sobre algo que há muito tenho pensado: as oportunidades, sonhos e pessoas que deixamos passar por simples medo de arriscar ou por conta de suposições equivocadas.
Bom, antes de qualquer coisa, aqui está a sinopse do filme:
Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.
Fonte: Adoro Cinema

O filme, de modo geral, é bem gostoso de assistir! Há muitas reviravoltas, encontros e desencontros como a maioria dos romances desse tipo. Mas o que mais me comoveu e me fez chorar haha foi essa mensagem de que muitas vezes deixamos tantas coisas passarem, por puro medo das consequências ou em decorrência de suposições que fazemos. No filme, Alex e Rosie deixam passar as oportunidades de serem felizes juntos porque têm medo do que ocorrerá se um revelar ao outro o que sente de verdade e, também, por suporem que o outro não sente a mesma coisa ou que estará melhor sem isso ou aquilo. É tolice deixar de ser honesto com você mesmo e com o outro por medo ou suposição! Você jamais poderá saber com certeza o que acontecerá ou o que a pessoa realmente sente se não perguntar. A ausência da comunicação atrapalha muitas coisas em nossas vidas. É difícil dizer a verdade: é. Mas como Neil Gaiman escreve em Coraline: "Quando você tem medo e faz mesmo assim, isso é coragem". É preciso ter coragem de fazer certas coisas! Quando você sabe que há algo mais importante que o seu medo, você consegue arriscar. As consequências podem ser positivas ou negativas, mas ter coragem com certeza te traz uma recompensa muito grande: o alívio e a sensação de que você conseguiu se vencer e vencer as circunstâncias. Aliás, nós não deixamos passar apenas pessoas importantes, como também sonhos! No filme, isso também é trabalhado.


"Engraçado, porque, quando a gente é criança, acredita que pode ser tudo o que quiser, ir para onde se tem vontade. Não há limites. Você espera o inesperado, acredita em mágica. Aí você cresce e a inocência acaba. A realidade da vida mostra a sua cara e você se sente golpeada quando constata que não pode ser tudo o que quer e que só precisa se conformar com um pouco menos do que aquilo que havia imaginado.
Por que deixamos de acreditar em nós mesmos? Por que permitimos que os acontecimentos ou os números ou qualquer outra coisa além dos nossos sonhos governem a nossa vida?
Mas agora mudei de ideia de novo. Nada é impossível…" - trecho do livro no qual o filme foi baseado