Sobre as oportunidades que a gente deixa passar e "Simplesmente Acontece"

Hi, my lovely readers!!! Como estão? Espero que muito bem!
Nossa, acabei de assistir ao filme Simplesmente Acontece (Love, Rosie) e senti uma ânsia enorme de escrever sobre algo que há muito tenho pensado: as oportunidades, sonhos e pessoas que deixamos passar por simples medo de arriscar ou por conta de suposições equivocadas.
Bom, antes de qualquer coisa, aqui está a sinopse do filme:
Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.
Fonte: Adoro Cinema

O filme, de modo geral, é bem gostoso de assistir! Há muitas reviravoltas, encontros e desencontros como a maioria dos romances desse tipo. Mas o que mais me comoveu e me fez chorar haha foi essa mensagem de que muitas vezes deixamos tantas coisas passarem, por puro medo das consequências ou em decorrência de suposições que fazemos. No filme, Alex e Rosie deixam passar as oportunidades de serem felizes juntos porque têm medo do que ocorrerá se um revelar ao outro o que sente de verdade e, também, por suporem que o outro não sente a mesma coisa ou que estará melhor sem isso ou aquilo. É tolice deixar de ser honesto com você mesmo e com o outro por medo ou suposição! Você jamais poderá saber com certeza o que acontecerá ou o que a pessoa realmente sente se não perguntar. A ausência da comunicação atrapalha muitas coisas em nossas vidas. É difícil dizer a verdade: é. Mas como Neil Gaiman escreve em Coraline: "Quando você tem medo e faz mesmo assim, isso é coragem". É preciso ter coragem de fazer certas coisas! Quando você sabe que há algo mais importante que o seu medo, você consegue arriscar. As consequências podem ser positivas ou negativas, mas ter coragem com certeza te traz uma recompensa muito grande: o alívio e a sensação de que você conseguiu se vencer e vencer as circunstâncias. Aliás, nós não deixamos passar apenas pessoas importantes, como também sonhos! No filme, isso também é trabalhado.


"Engraçado, porque, quando a gente é criança, acredita que pode ser tudo o que quiser, ir para onde se tem vontade. Não há limites. Você espera o inesperado, acredita em mágica. Aí você cresce e a inocência acaba. A realidade da vida mostra a sua cara e você se sente golpeada quando constata que não pode ser tudo o que quer e que só precisa se conformar com um pouco menos do que aquilo que havia imaginado.
Por que deixamos de acreditar em nós mesmos? Por que permitimos que os acontecimentos ou os números ou qualquer outra coisa além dos nossos sonhos governem a nossa vida?
Mas agora mudei de ideia de novo. Nada é impossível…" - trecho do livro no qual o filme foi baseado

Animes* 5 Shounen favoritos

Hi, my lovely readers! Noossa, faz muito tempo que não posto nada aqui, né? Gomen! Aconteceram tantas coisas. É repetitivo explicar que não postei por conta da correria do último ano de faculdade... Mas essa é, de fato, a explicação para o meu sumiço. Ah tem outra coisa: criei um blog novo, cujo tema é a depressão (confira).

Mas eu voltei! Conforme prometi no post "Top Shoujo", aqui estão os meus 5 shounen favoritos!




Soul Eater

"SOUL" simplesmente APAIXONADA por esse anime. Quem me conhece sabe do meu vício haha. Por quê? Porque ele mescla as coisas que mais aprecio em um anime: lutas maravilhosas, aventura, diversão, superação, personagens cativantes, doidices, amor e essa mistura "dark and light". A história é bem engendrada, a arte do anime é fantástica e devo confessar que me identifico DEMAIS com uma das personagens principais: Maka Albarn. Esse shounen me ensinou a ter mais coragem para enfrentar as batalhas da vida e cultivar as amizades, pois caminhar junto com pessoas que amamos é sempre melhor. Escrevi mais sobre o anime AQUI.






Death Note

Sinopse:
A trama gira em torno de um caderno com poderes inimagináveis, que cai por acaso nas mãos do estudante Light Yagami. O rapaz logo percebe que, ao escrever ali o nome de qualquer pessoa que escolha, ela acaba morta!
Para a alegria de Ryuk, o Deus da Morte antigo dono do Death Note, não demora para Light passar a atuar como justiceiro, eliminando qualquer um que atrapalhe o bem-estar social. Tantas mortes misteriosas chamam a atenção da polícia de todas as partes do mundo. Para solucionar o caso, entra em cena o misterioso L. Conhecido como o maior detetive do mundo, ele começa a montar um imenso quebra-cabeça para capturar Kira – apelido pelo qual Light passa a ser chamado.
A grande questão é: seria Light um herói ou um assassino? Estaria ele fazendo um bem para o mundo ou estaria se tornando um criminoso como aqueles que eliminou? Fonte: AnimeQ


Todo mundo falava tanto de Death Note, mas demorou até eu ficar com vontade de assisti-lo. Nossa, quando comecei a ver não conseguia parar. Queria mais episódios, mais respostas para minhas dúvidas. A história é muito inteligente! Adoro enredos que envolvem investigações e personagens peculiares que não são nem bons nem maus. Minha grande paixão é o L! Eu até que simpatizava com o Kira até certo episódio... E devo dizer que a Misa me causou bastante irritação :(
No entanto, recomendo o anime! Quem nunca quis ter um Death Note (digo isso, mas de brincadeira kkk)





Se

Se

Tiemi Yamasaki

Se eu pudesse te dar um conselho seria: Viva.
Faça o que tem vontade de fazer, siga o seu coração (e todo esse clichê)
porque a vida é curta e imprevisível. Não sabemos o que vem adiante
e é perda de tempo ficar pressupondo demais. 
"E SE?" são palavras torturadoras.
Você quer mesmo ficar pensando no que teria acontecido ou no que poderia acontecer?
Na maioria das vezes, nossas previsões e expectativas estão erradas... Por isso, perdemos 
sorrisos, momentos inesquecíveis e pessoas maravilhosas... 
Se eu pudesse fazer algo por você seria te incentivar
É melhor quebrar a cara e tentar do que ficar imaginando o que teria acontecido.
Vai valer a pena se arriscar
Porque no final vai sobrar você e você mesmo
E você se sentirá feliz pelo simples fato de ter sido corajoso 
de ter feito o que podia, de ter lutado
Você vive
Aprende
Erra
Aprende
Se dá mal
Aprende
Sorri
Descobre coisas sobre você
e o mundo
Se as portas estiverem fechadas, arrombe-as!
Se o mundo te disser: NÃO
Diga: SIM
Não importa que obstáculos surjam
No fim é você e o desejo do seu coração
Quando a gente quer MUITO alguma coisa
damos um jeito de fazer acontecer
Não há medo
Não há obstáculo que nos impeça
E se as coisas não saírem conforme o esperado
ainda assim você terá orgulho de si e muitos motivos 
para comemorar
A jornada começa com o primeiro passo.


Anime* 5 shoujos favoritos

Hi my lovely readers!
Hoje finalmente farei um post que há muito tempo pretendo fazer!
Foi bem difícil selecionar apenas 5 shoujos favoritos, porque gostei de todos que já vi. No entanto, existem aqueles especiais ♥ UMA OBSERVAÇÃO: Card Captor Sakura é um shoujo à parte, por isso não vai entrar na lista (porque, acredito eu, é diferente dos shoujos mais teen)!!

Ahh e não há uma ordem específica de preferência entre eles, cada um é especial por um motivo (≧∪≦) !


Ao Haru Ride
O que dizer desse anime maravilhoso, emocionante e divertido...? Quem me indicou foi minha querida amiga Apoli-Chan! Fui à casa dela e peguei os primeiros episódios de Aoharaido. A partir do momento que comecei a assisti-lo, não consegui parar mais (isso foi em janeiro desse ano). Me identifiquei bastante com alguns pontos, gostei das reflexões colocadas em pauta e, além disso, também apreciei bastante os traços e o visual do anime. 

Aqui vai a sinopse: Futaba Yoshioka quer dar um novo rumo a sua vida. No ginásio, Yoshioka não tinha nenhuma amiga, porque muitos garotos gostavam dela. No entanto, o único por quem era apaixonada, Kou Tanaka, afastou-se dela, antes que ela pudesse confessar seus sentimentos. Agora no colegial, Yoshioka está determinada a ser indelicada e grossa com os garotos, para que suas novas amigas não sintam ciúmes dela. Ela estava feliz com sua vida, até reencontrar com Kou, que agora usa o nome Kou Mabuchi. Ele diz que também era apaixonado por ela naquela época, porém que agora seus sentimentos são indiferentes.

Dá uma agonia tão grande ver que a Futaba e o Kou eram apaixonados um pelo outro, mas não ficaram juntos por conta de um mal entendido idiota (além de outras questões). Os dois se reencontram, mas tudo é diferente, afinal, eles já não são os mesmos da infância. Assim, durante todo o anime, você torce para que eles se apaixonem novamente e consigam, de uma vez por todas, ser felizes juntos. Maas como todo shoujo, essa história dá muitas voltas, várias complicações aparecem.. No entanto, há acontecimentos muito bons também! Essa questão de modificar a personalidade para agradar os outros é bem interessante e explorada no anime (não apenas no caso da Futaba). Somos os mesmos do passado? Somos o que dizem que somos ou o que queremos ser? Quantas vezes deixamos de ser nós mesmos com medo do que os outros vão dizer ou fazer? A relação do Kou e da Futaba é muito bonita e ao mesmo tempo misteriosa, eles se compreendem de uma forma interessante. A questão da amizade também é bem abordada! Por outro lado, uma das coisas que aprendi com Aoharaido é que sempre dá para recomeçar! O recomeço começa com você sendo honesto consigo mesmo e fazendo as coisas que você quer fazer de verdade, sem ligar para os acontecimentos do passado ou para os medos em relação ao futuro. Olhar para trás não leva ninguém a nada! O melhor a fazer é olhar para frente e amar o eu de agora.  Eu ri, chorei, fiquei brava... ao longo do anime e, no final das contas, percebi o quanto ele me marcou. Super recomendo!
Atualmente estou lendo o mangá (que está sendo lançado no Brasil), a propósito, adoro a mangaka Io Sakisaka (ela é um amor e muito divertida). 



Toradora!
Ai Toradora ♥, um anime extremamente especial pra mim! Da primeira vez que vi, não foi assim tão importante (exceto pelo fato de que me identifiquei demais com a protagonista Taiga hahaha - não só por conta da altura, viu! Mas pelo jeito!). Mas, recentemente, revi "com" o Ryuuji da minha vida ♥ e, então, esse anime adquiriu um novo sentido! 

Sinopse: A história de Toradora! começa com o protagonista masculino Ryūji Takasu. Apesar de sua personalidade gentil, seus olhos o fazem parecer um delinquente intimidador. Isso faz com que Ryūji não tenha esperanças de conseguir uma namorada tão cedo. Depois de receber cumprimentos de sua mãe de manhã, o garoto vai a escola e fica feliz ao descobrir que ficará na mesma classe de seu melhor amigo Yūsaku Kitamura e de Minori Kushieda, por quem é apaixonado. Porém, nesse mesmo dia, ele esbarra acidentalmente na famosa "tigresa de bolso"—Taiga Aisaka—que também está na sua classe e é amiga de Minori.
Logo após conhecer Ryūji, Taiga imediatamente tem uma certa antipatia com ele. Taiga vem de uma família rica, mas ela resolveu sair de casa e viver por conta própria, devido a questões familiares. Ela, por coincidência, está vivendo em um apartamento ao lado da casa de Ryūji. Quando Ryūji descobre que Taiga tem uma queda por Yūsaku e Taiga descobre que Ryūji é apaixonado por Minori, Ryūji sugere que eles se ajudem para ambos conquistarem seus objetivos amorosos. Taiga explora o fato de que Ryūji é capaz de fazer qualquer coisa para ficar próximo de Minori. Ela o faz ser seu servo pessoal, deixando para ele fazer todas as tarefas domésticas (cozinhar e limpar). Taiga passa muito tempo na casa de Ryūji, tanto que ela quase pode ser considerada um membro de sua família. Desde que Ryūji se tornou amigo de Taiga, ele se abriu ao mundo dela e começou a ver um lado da garota que a maioria das pessoas não consegue ver.
Assim, os dois tentam ajudar um ao outro para melhorar a forma que os outros os vêem. No entanto, as pessoas da escola começam a ficar curiosos sobre essa estranha relação e os boatos começam a se espalhar. Ryūji e Taiga ficam cada vez mais próximos, enquanto o progresso dos objetivos amorosos continuam. Dessa forma, eles descobrem que, na verdade, estão apaixonados um pelo o outro e, eventualmente, confessam os verdadeiros sentimentos de amor existentes.

Esse anime é muuito divertido, lindo e emocionante!!
A Taiga é uma figura! Ô menina estressada kkkkk Admiro muito ela, afinal, a garota não tem medo de dizer as coisas na cara das pessoas (ok, às vezes ela poderia ser mais sutil - meça suas palavras, parça). A Taiga faz o que você sempre quis que as protagonistas de shoujo fizessem! Ela não deixa ninguém pisar nela!! Pancada em quem irritá-la (mas devo dizer que o Ryuuji - baka inu kkk - apanha e é sempre um amor de pessoa). Há uma explicação para a personalidade da Taiga e vamos descobrindo isso aos poucos. O Ryuuji é tão amor (esforçado, fiel, atencioso, gentil... mas tem um TOC por limpeza kkk)!! A relação dos dois é muito curiosa kkkk! Ambos vão se ajudando, se conhecendo e desenvolvendo sentimentos que nos são misteriosos... até o final. É o Ryuuji que está sempre ao lado da Taiga e é a Taiga (por mais que tenha um jeitão tsundere) quem está do lado dele. 
A Minori(n) é muito louca kkkkkkkk no começo eu não gostava muito dela, mas depois vi que se tratava de uma pessoa de muito valor. O Kitamura tem uns parafusos a menos também, mas é muito legal!
Há muitas cenas marcantes no anime inteiro! Com certeza esse anime ficará marcado no meu coração para sempre (e me fará lembrar de você, Ryuuji)!


 Kimi Ni Todoke
Nossa, eu assisti Kimi Ni Todoke há muuuuuito tempo (foi por volta de Setembro de 2011)!
Ainda lembro que fiquei encantada com a história kawaii da Sawako e do Kazehaya!

Sinopse: Sawako Kuronuma – apelidada de Sadako por seus colegas de classe por sua semelhança com o personagem do filme Ringu – sempre foi temida e incompreendida por causa de sua aparência; os boatos na escola dizem que ela é capaz de ver fantasmas e amaldiçoar pessoas. Porém, apesar da sua aparência assustadora, ela é, na verdade, uma garota muito gentil e tímida, que só gostaria de fazer amigos e ser admirada pelos outros. Quando o seu ídolo, o popular Kazehaya, começa a falar com ela, tudo muda. Ela começa a fazer novos amigos e a conversar com pessoas diferentes. Eventualmente, ela e Kazehaya lentamente se apaixonam, enquanto têm que superar diversos obstáculos em seus caminhos.

A Sawako é uma foofa! Me identifiquei muito com ela (não pelo fato de ser fofa, mas por ser bem tímida, ser mal julgada e querer fazer o bem para as pessoas). Ela está super na dela, sofrendo bullying por conta de sua aparência (que nem é tão ruim assim), até que aparece o fofo do Kazehaya! Sabe o que me fez gostar dele (e é o que chama mais a minha atenção nas pessoas?) A gentileza. O Kaze foi gentil com a Sawako (diferente dos outros idiotas da escola). Não acho que ele era o ídolo dela, mas assim como todo garoto popular, ele chamava sua atenção. É muito bonitinho ver os dois se aproximarem e, sobretudo, acompanhar o desenvolvimento dos personagens (dos amigos deles também). Nossa, eu passei o anime inteiro desejando que um finalmente contasse que gostava do outro e aí... 
Enfim, Kimi Ni Todoke me marcou demais! É muito kawaii! Sawako e Kazehaya constituem o casal mais kawaii de todos os shoujos que já vi!



Vejam que interessante, hoje mesmo terminei de ler os mangás de Maid-sama!! Nossa que emocionante! Amei! Me inspirou bastante! Assisti o anime em julho de 2013 (é, faz um tempinho já kkk) e lembro que gostei MUITO! 

Sinopse: Confira (AQUI)

Mas o que me fez gostar tando assim de Kaichou? Principalmente, foi a Misa (eu me identifico MUITO com ela haha sempre se esforçando para conseguir o que quer e morrendo de vergonha no quesito 'romance') e em segundo lugar, o Usui, Esses dois são incríveis!! Afinal, ambos fogem do estereótipo de personagens de shoujo (não que eu também não goste dos estereótipos kawaii haha). A Misa é uma personagem muito forte e independente, o Usui tem características maravilhosas.. mas não é do tipo esnobe que sai por aí flertando com todas (ele é mais do tipo sossegadão - exceto quando se trata da Misa). É engraçado porque o Usui fica provocando a Misa de um jeito .. digamos... desestabilizador kkkkkkkkkk Ele não tem papas na língua (e nem no corpo hahhahah), afinal, fala coisas que não esperamos ouvir e faz coisas que não esperamos que um personagem assim faça. A Misa fica brava kkkkkk mas aos poucos vai percebendo que ela precisa ser desestabilizada. O legal é que um apoia o outro! O Usui pode até ser um alien pervertido do planeta Feromônios, mas está sempre apoiando a Misa. Por outro lado, ela também sempre está ao lado dele. Os dois enfrentam situações difíceis, mas com isso, descobrem que se complementam.
Se você quer rir bastante e se inspirar com a tamanha determinação da presidente Misaki, assista Maid-Sama!



Já falei bastante sobre essa maravilha (AQUI).


Menção honrosa: Gosick, Tonari No Kaibutsu Kun, Sukitte Ii na Yo e Angel Beats ♥.

AHH, o próximo post será sobre os meus 5 shounens favoritos! Aguardem! \(^o^)/

Book* 1984 - George Orwell


Hi my lovely readers! Nossa, faz o maior tempão que não posto resenha literária, né? Pois é, levei um puxão de orelha da minha amiga Thaís, por isso resolvi escrever (finalmente) a resenha sobre 1984!
Já faz um bom tempo que li esse livro, no entanto, ainda me recordo de seu enredo, considerando o fato de que a história é marcante e extremamente relacionada com as questões que andam pululando em minha mente. Let's go!


1984Sinopse
1984 - Publicada originalmente em 1949, a distopia futurista 1984 é um dos romances mais influentes do século XX, um inquestionável clássico moderno. Lançada poucos meses antes da morte do autor, é uma obra magistral que ainda se impõe como poderosa reflexão ficcional sobre a essência nefasta de qualquer forma de poder totalitário
Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O´Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que "só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro".
Quando foi publicada em 1949, poucos meses antes da morte do autor, essa assustadora distopia datada de forma arbitrária num futuro perigosamente próximo logo experimentaria um imenso sucesso de público. Seus principais ingredientes - um homem sozinho desafiando uma tremenda ditadura; sexo furtivo e libertador; horrores letais - atraíram leitores de todas as idades, à esquerda e à direita do espectro político, com maior ou menor grau de instrução. À parte isso, a escrita translúcida de George Orwell, os personagens fortes, traçados a carvão por um vigoroso desenhista de personalidades, a trama seca e crua e o tom de sátira sombria garantiram a entrada precoce de 1984 no restrito panteão dos grandes clássicos modernos.
Algumas das ideias centrais do livro dão muito o que pensar até hoje, como a contraditória Novafala imposta pelo Partido para renomear as coisas, as instituições e o próprio mundo, manipulando ao infinito a realidade. Afinal, quem não conhece hoje em dia "ministérios da defesa" dedicados a promover ataques bélicos a outros países, da mesma forma que, no livro de Orwell.
Fonte: Skoob

1984 é um livro bem conhecido, o mesmo ocorre com o nome George Orwell. Muitas pessoas já ouviram falar da obra ou do autor (que também escreveu Revolução dos Bichos). Comigo não foi diferente, sempre soube que 1984 era considerado um livro incrível, mas a coragem de lê-lo nunca havia chegado a mim. Até o momento em que me vi fascinada por distopias! Por que você ficou viciada em distopia, Tiemi? Ora, porque a minha pesquisa (de graduação) é relacionada com o nosso contexto atual. Depois que comecei a refletir e pensar de modo crítico sobre a sociedade e percorrer pelos corredores mais estreitos e ocultos das ideias sobre tudo o que tange às estruturas sociais, eu fiquei encantada e ávida por conhecer mais coisas referentes a isso. Foi então que li as trilogias Divergente e Jogos Vorazes. Amei ambas as trilogias e notei que era hora de ler uma das grandes distopias clássicas! Fiquei em dúvida, não sabia se começava por Admirável Mundo Novo ou 1984. Optei pelo último, visto que a minha amiga linda Flavinha tinha o livro. 
E lá fui eu....

Desmistificando o budismo

Hi, my lovely readers!!!
Para quem não sabe, sou budista :O pois é, isso data de Junho do ano passado. Desde então, tive vontade de escrever um pouco mais acerca dessa religião, sobre a qual a maioria das pessoas tem uma ideia equivocada (eu também tinha). 




Pra começar, é importante saber que não existe apenas um budismo, mas várias vertentes. 
A minha se chama budismo de Nichiren Daishonin. Quando pensamos em budismo, logo vem à mente, a imagem do buda gordinho, meditações, monges carecas, privação de bens materiais etc. 
Mas ops, essas características não se aplicam ao budismo no qual acredito. Nós não adoramos estátuas, não nos privamos de bens materiais, não meditamos nas montanhas e nem usamos roupas de monges budistas (não que isso não seja algo legal, mas é de outra vertente). 
O budismo de Nichiren Daishonin considera o contexto no qual vivemos, diferente de várias religiões que parecem não compreender que a sociedade muda. Para nós, não existe apenas um único buda, afinal, todos somos budas. O que significa ser buda? Ser buda é atingir o estado de buda, um estado de vida que corresponde à "felicidade absoluta"... "Nossa Tiemi, tá doida.. que negócio é esse de felicidade absoluta? isso é impossível". Calma gente kkk, felicidade absoluta é encontrar a felicidade dentro de você mesmo, é entender que se as coisas estiverem em paz na sua mente, não importa o que acontecer.. você estará feliz (é uma questão de lógica). As felicidades externas são ótimas, mas a interna é melhor ainda e não depende de ninguém além de você mesmo. Ser buda é não desistir mesmo em meio às dificuldades, é ser uma pessoa melhor para o mundo, é ter respeito pelo outro, é querer que todos sejam felizes também. Sendo assim, consideramos que todos são budas, todos tem dentro de si esse estado (até aqueles que não são budistas); porém, alguns conseguem despertar esse estado e outros ainda não sabem que podem conseguir. Como eu atinjo isso? No budismo de Nichiren, nós recitamos uma frase que deriva do sânscrito: Nam-myoho,renge-kyo. Minha nossa o que significa isso?? Basicamente: "Devotar-se ao Sutra de Lótus, ou Devotar-se à Lei Mística da Causa e Efeito". Recitar essa frase é fazer daimoku (daimoku significa "título", afinal essa frase é o título do sutra de lótus, o qual consiste em uma escritura; no budismo de Nichiren Daishonin recitamos alguns capítulos desse sutra... numa oração que é chamada de Gongyo). Então... recitando essa frase, nós conseguimos ativar o estado de Buda! Como assim??? É uma frase mágica? Não. Recitar essa frase permite que você se sintonize com o universo, com a lei mística (místico não no sentido de milagroso e fantasioso, mas no sentido de que é inexplicável a partir da compreensão humana. A lei mística é uma força que rege todo o universo - para MIM, também significa o que eu sempre entendi por "Deus"). A frase faz você olhar para si mesmo e enxergar a vida com energia e sabedoria, acalma... é tem até um estudo da Física referente à frequência em hertz desse 'mantra'. Antes de me tornar budista, eu ficava me perguntando se fazer o daimoku" causava efeitos".. Só descobri depois que pratiquei (e realmente deu certo). 

Era alguém

Era Alguém
                                                                 Tiemi Yamasaki



Era apenas um rosto em meio à multidão
Era apenas um nome em meio a tantos outros
Era um desconhecido. 
Era alguém que ela jamais encontraria
Alguém que provavelmente ela jamais conheceria
Afinal, uma cidade tão distante ela não pretendia visitar
Era alguém que ela  nem imaginava que fosse encontrar
Era alguém do lado oposto, em outra fase, diferentes vidas 
As probabilidades do encontro eram ínfimas
Era alguém com quem ela sonhava
Via nos sonhos as ações, as falas, mas o rosto não podia ver
Imaginava quem seria aquele que em em seu sonho sorria
Aquele que queria muito conhecer
Mas que nunca nunca conseguiu perceber
Não encontrava nas ruas de sua cidade, nos lugares que frequentava
Era alguém que ela nem imaginava
Era alguém do qual ela jamais ouvira falar
Era alguém que vivia quilômetros distante, alguém em meio à multidão
Era alguém por quem ela não esperava
Mas havia um fio que os conectava
Em um dia, todas as estrelas e planetas mais distantes resolveram se alinhar
todas as improbabilidades, as milhões de pessoas na multidão e os quilômetros 
resolveram se transformar, misturar, quebrar e desvanecer 
Pois de alguma forma, eles se tinham que se conhecer
Deu-se o encontro
Era como se fosse aquele rosto em meio à multidão
Era aquele nome em meio a tantos outros
Era um desconhecido que ela sempre conheceu
Era alguém que ela tinha de encontrar
Nem os quilômetros, as diferenças, as milhões de pessoas, os acasos
os fatos, nada impediu aquele acontecimento
Naquele dia, naquela hora, naquele ano, naquela história
Ela tinha que encontrá-lo
Algo inesperado
Um golpe de sorte do destino
Uma sorte que ela jamais conheceu
O fio que os conectava era invisível
mas sempre estivera ali
E toda vez que um dos dois ficava triste porque a vida parecia não ter muito sentido
o fio murmurava "ei, vocês precisam saber da existência um do outro, não fiquem chateados!"
Na hora certa tudo enfim estará transformado
Quando ela o viu soube que sempre esteve ao seu lado
E de repente aquele rosto até então desconhecido, aquela voz que nunca escutara
Aquele nome que nunca havia lido em qualquer instante
Eram o rosto, o som, o nome mais importantes.




Anime* Shigatsu Wa Kimi No Uso

Hi, my lovely readers! Nooossa, quanto tempo!!!!
Não tenho escrito muito por conta de váários motivos, mas o principal deles é: estava ocupada com outras coisas e acabei deixando o blog de lado...
No entanto, aqui estou! Hoje vim falar de um anime que uma pessoa muito especial me recomendou.
Terminei de assistir ontem e ainda estou arrasada por conta do fim T~T





Sinopse: Arima Kousei era um prodígio em se tratando de piano, dominou as competições infantis por anos e todos os músicos infantis conheciam seu nome. Mas com o falecimento da sua mãe, que também era sua instrutora, ele sofre um bloqueio mental no meio de um recital e nunca mais consegue ouvir o som do seu piano, mesmo com sua audição normal. Dois anos se passam e Kousei ainda não tocou em seu piano de novo e vive em um mundo sem cor e sem outros tons. Ele passa a aceitar sua condição e vive feliz com seus amigos, Tsubaki e Watari, até que um dia, uma garota muda tudo. Miyazono Kaori é uma linda violinista, e seu estilo reflete sua personalidade livre e animada. Ela ajuda Kousei a voltar ao mundo da música e mostra a ele que neste mundo ele pode ser livre e não seguir as regras, um jeito muito diferente da estrutura rígida e estilo regrado que Kousei estava acostumado.
Fonte: Anitube


Bom, não sou muito fã de animes/filmes/livros que tratam de música; porém, fiquei encantada com Shigatsu. A história é incrível! De início, conhecemos Kousei e o seu bloqueio em relação ao piano... Acredito que no anime dá pra sentir bem a agonia que o protagonista sente, a dor que carrega no peito, a culpa e a vontade de expressar tudo isso na música. Aos poucos, vamos conhecendo os motivos pelos quais ele não consegue mais tocar piano e, assim, conseguimos entender o porque de certas atitudes do garoto. Apesar de ele querer superar as barreiras que criou dentro de si (amarradas ao passado), ele não age, pelo contrário, fica estagnado. Enquanto isso, sua melhor amiga (que o conhece desde pequenininho) Tsubaki e seu amigo Watari são bem divertidos e enérgicos. Maaas, chega o dia, da primavera de Abril... em que ele conhece a temperamental Kaori, de um jeito um tanto quanto ruim, o que causa uma má impressão em ambos. Kousei descobre que ela era a menina que gostava do seu amigo. Os dois se aproximam, porque compartilham de algo em comum: ambos são músicos (ele pianista, ela violinista). Kaori aparece para abalar o mundo de Kousei e fazer ele agir e sair da zona de conforto. Ela não "passa a mão" na cabeça dele ao saber de seus traumas de infância, por outro lado, a garota o impulsiona a agir de modo rígido. Assim, Kaori pede que Kousei toque junto com ela em uma apresentação... Conforme eles vão estudando as partituras de músicas, vão se conhecendo e compartilhando momentos juntos. Além disso, também conhecemos melhor Tsubaki e sua relação com Kousei. Em meio a tudo isso, há muitas reflexões por parte dos personagens... paisagens belíssimas e muita emoção. Eles pensam sobre a vida, o tempo, as tristezas, as alegrias, os acasos, as decepções, os sonhos, a perda, os traumas, as experiências simples que são grandiosas dentro do coração etc. Adorei acompanhar cada episódio desse anime, porque me envolvi demais com os personagens. O espectador se desenvolve junto com Kousei... não só no que diz respeito a ele como pianista, mas como ser humano. É muito bom e inspirador ver o protagonista vencendo seus "limites" e gostei até mesmo dos "rivais" dele (outros pianistas extremamente talentosos). A Kaori, sem dúvida, é uma das personagens mais queridas...! O jeito como ela lida com a vida é maravilhoso... Como o Kousei diz: ela tem um brilho nos olhos. 

Lista* Filmes mind-blowing

Hi, my lovely readers!!

Hoje, venho por meio deste post haha, trazer uma lista de filmes insanos, daqueles que te fazem quebrar a cabeça pensando em uma possível explicação para o que acontece. Devo salientar que estes são filmes que eu já assisti, afinal, há dezenas de outros que estão na lista "quero ver". Adoro filmes assim, a propósito!


Donnie Darko (história do filme - AQUI)
Gente, assisti esse filme recentemente. Fiquei uma meia hora olhando para a tela, depois que o filme acabou. Pois não entendi coisa nenhuma, sem contar que fiquei super com cara de "ué", xingando, pois não gostei do final. Porém, devo dizer que Donnie Darko se tornou um dos meus filmes favoritos! O protagonista tem o diagnóstico de esquizofrenia, vê um coelho muito medonho  que diz  ter vindo do futuro e que o mundo acabará em 28 dias não sei quantas horas e quantos segundos! Você começa a pensar que talvez nem tudo seja loucura... Procurei diversas explicações para o enredo e acabei entendendo tudo (acho). Por que favoritei? Porque aborda a questão de viagem no tempo, tem uma trilha sonora maravilhosa, enredo muito bem construído, ótimas atuações e o lindão do Jake G.. não sei como se escreve o sobrenome dele Gyllenhaal como protagonista. Eu nem percebi o tempo passando, de tanto que fiquei absorvida pela história genial. Super recomendo!



Interstellar
Confira a resenha que eu fiz sobre esse filme (AQUI). Gente, minha cabeça ficou rodando por dias, depois de ver esse filme maravilhoso!!

Música, música

Hi, my lovely readers! Sabem qual é a coisa que mais tenho feito nesses últimos dias? Pois é, tenho ouvido muita música!! Não posso viver sem meus fones de ouvido. O modo como as canções me envolvem, parece que tocam a minha alma, despertam sensações, lembranças, expectativas, possibilidades etc... Por isso resolvi compartilhar algumas das músicas que estão na minha playlist do celular!






Tem (quase) de tudo!

Do I Wanna Know? - Arctic Monkeys



Wish You Were Here - Pink Floyd 
Clássica! Amo demais!

Book* Clube da Luta - Chuck Palahniuk

 A PRIMEIRA REGRA DO CLUBE DA LUTA É NÃO FALAR SOBRE O CLUBE DA LUTA

Hi, my lovely readers! Há séculos que pretendo escrever uma resenha de Clube da Luta... porém, até agora a preguiça me dominou. Sem contar que eu queria fazer uma resenha à altura desse maravilhoso livro.
Voilá!
Oh céus, estou quebrando a regra número 1 do Clube da Luta!!!

Clube da LutaSinopse
Clube da Luta - Considerado um clássico moderno desde sua publicação em 1996, o livro Clube da Luta consagrou Chuck Palahniuk como um dos mais importantes e criativos autores contemporâneos, além do próprio livro como um cânone da cultura pop. O livro que estava esgotado há anos volta às livrarias nessa caprichada edição.
O clube da luta é idealizado por Tyler Durden, que acha que encontrou uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e das regras sem sentido. Mas o que está por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente.
O livro foi filmado em 1999, Por David Fincher (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Rede Social), que possui duas nomeações ao Oscar, que conseguiu adaptar toda atmosfera do livro, o mundo caótico do personagem e o humor negro de Palahniuk em uma trama recebida com inúmeros elogios pela crítica e pelo público que conta com os atores Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter.
Fonte: Skoob

Devo dizer que todos me falavam muito bem desse livro, porém, nem o filme eu havia assistido. Comecei a ler sem saber de nada e acredito que isso foi fundamental para que a minha experiência de leitura fosse tão boa!

Book* O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman

Oi gente!
Nossa, eu estava ansiosa para escrever sobre esse livro fantástico (em todos os sentidos).
Mas, antes de começar a resenha, gostaria de contar a curiosa história sobre como essa história mágica foi parar em minhas mãos. 
Bom, eu estava na maior pindaíba, sem dinheiro para quase nada... Afinal, não estou trabalhando e nem recebendo bolsa, estou apenas estudando. Um dia, fui ao Walmart com a minha mãe, eu tinha somente 20 reais para comprar meus alimentos integrais e cheios de frescura (porque faço tratamento para diminuição de triglicérides e colesterol). No caminho até o mercado, fiquei ansiando por um livro. Precisava de algum livro novo, fazia tanto tempo que eu não comprava um. Mas, naquela situação, era meio impossível. Pensei, de imediato, em O Oceano no Fim do Caminho, porque já o tinha visto no Walmart. Quando cheguei lá... sem esperanças, percebi que havia uma promoção perto da área do hortifruti. Eis que encontrei O Oceano no Fim do Caminho por apenas 5 reais!! Isso é que é sorte!


O Oceano no Fim do Caminho
Sinopse: O Oceano no Fim do Caminho - Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.
Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.
Fonte: Skoob 

O livro começa com o protagonista adulto (cujo nome não é mencionado) que após um funeral (não sabemos quem faleceu) acaba indo parar no lugar onde passou sua infância. Ele revê sua antiga casa.. mas é bem no final da rua que a história do livro, de fato, começa. Na casa de sua antiga amiga de infância, Lettie Hempstock. Sentado diante do oceano de Lettie, as memórias dei infância do protagonista voltam à tona e tecem o enredo maravilhoso do livro. 
O então garotinho de 7 anos, conta um pouco de sua vida, sobre como ele era sozinho naquele lugar. Sua maior companhia eram os livros! Acredito que todos os leitores que amam a leitura se identificarão muito com o menino! Uma coisa que foi marcante para mim diz respeito à história do gatinho do protagonista.. Terminei de ler o livro e logo, em seguida, aconteceu algo muito ruim com meu gato. Ele partiu... Ter livro O oceano me ajudou a enfrentar essa situação complicada... Parece mágica..

DIY - Marcador de Livro

Hi, my lovely readers!!
Gosto bastante de criar coisas, sempre estou buscando algo novo para fazer. Dia desses resolvi fazer marcadores de livros fofos. Como eu não tinha todo o material necessário para fazer marcadores de livros perfeitos, fui usando as coisas que eu possuo aqui em casa. Aqui está o resultado:







Do que você vai precisar? 
- 1 folha de sulfite
- 1 cartolina ou qualquer outro papel mais durinho
- 1 marcador de livro
- 1 papel color set/de origami/dobradura/laminado etc
- cola
- tesoura
- lápis de cor

Books* Garota, interrompida - Susanna Kayzen

Hi, my lovely readers!!
Nossa, faz o maior tempão que não escrevo resenha de livro (e qualquer outra coisa também)!!
As aulas voltaram e junto com elas um monte de leituras e trabalhos para fazer.
Estou com uma lista de livros para resenhar! 
Hoje me bateu vontade de escrever sobre "Garota, Interrompida" (talvez seja porque eu revi o filme ontem haha). Então, voilá!

Garota, InterrompidaSinopse
Garota, Interrompida - Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Kaysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.
Fonte: Skoob
Li esse livro em meados de fevereiro, ele é bem curto.. então li rapidamente. Já havia assistido o filme quando tinha uns 12 anos. Mas há pouco me veio o anseio de ler o livro de fato. 
Antes de qualquer coisa, o escrito é um testemunho, o testemunho de uma jovem que passou um longo período em um hospital psiquiátrico. O motivo? Ela apresentava diversas atitudes consideradas sintomas de distúrbios psicológicos. O ápice da crise de Susanna se deu quando esta tentou o suicídio. Porém, o que a autora nos faz questionar é se, de fato, tais atitudes poderiam ser consideradas como indícios de que ela estivesse louca. Aliás, o que é a loucura? Ser louco é não ser normal, ou seja, não estar de acordo com a norma. Mas o que é entendido como normal é algo estipulado pela sociedade. Se uma pessoa faz algo que  se desvia do que é dito normal, esta é considerada louca. Este é um tema sobre o qual eu gosto muito de refletir. Se pararmos para pensar, todas as pessoas são um pouco loucas..! Mas existem as loucuras legitimadas, camufladas.. e existem aquelas estigmatizadas e condenadas. No ano passado, fiz um trabalho de Neurolinguística com uma amiga e pensamos muito no assunto. Atualmente, vemos na medicina, uma epidemia de diagnósticos, uma ânsia pela rotulação. Uma criança que é enérgica "além do normal" (como determinar o que é esse "além do normal"?) é diagnosticada com hiperatividade e déficit de atenção. Por outro lado, muitas crianças que não gostam muito de brincar e preferem ficar em seu canto são suspeitas de autismo. O que é ter uma doença psíquica? Pessoas que ficam grudadas em celular, o dia inteiro.. obcecadas com selfies são consideras normais; enquanto alguém que é obcecado com padrões de ações é classificado como tendo TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). É preciso questionar o que se entende como loucura. 

Movie* Mesmo se Nada der Certo (Begin Again)

Hi, my lovely readers!! Dia desses assisti um filme tão bom que até senti vontade de escrever resenha sobre haha! Aliás, estou com vontade de voltar a escrever sobre livros também. Espere que essa animação dure por mais um bom tempo!

Mesmo se Nada der Certo - Poster / Capa / Cartaz - Oficial 1Sinopse
Gretta (Keira Knightley) e Dave (Adam Levine) são namorados de longa data e parceiros na composição de músicas. Quando ele consegue um contrato com uma grande gravadora em Nova York acaba deixando tudo para trás, inclusive Greta. Mas a vida da jovem tem uma nova virada quando ela conhece Dan (Mark Ruffalo), um produtor musical falido que a vê cantando em um bar e se encanta com seu talento.
Fonte: Filmow

O filme se inicia com um apresentador de show de um bar chamando Gretta para cantar uma canção, a moça reluta um pouco, mas acaba indo... E assim começa a cantoria...A letra da música é bem bonita e a voz de Gretta (Keira arrasou como cantora!) é doce. Um homem, envolvido pela canção, se aproxima do palco e, então, o espectador conhece a alguns fatos anteriores que ocorreram nesse dia, na vida de Dan (o homem que se aproxima fascinado pela música).

Alice no País das Maravilhas - uma metáfora para a vida

Hi, my lovely readers! Como estão? Espero que estejam muitíssimo bem!

Há anos que penso em Alice no País das Maravilhas como uma metáfora para a vida... mas foi há alguns poucos meses que eu comecei a me sentir de fato como Alice.


Acho que o clássico de Lewis Carroll pode se encaixar em diversas interpretações, sejam elas com base na psicologia, psicanálise, filosofia, física, matemática etc..

No entanto, para mim, adquire a seguinte forma:

Eu sou Alice, perdida. Perdia porque não sei que caminho tomar. É o meu último ano de faculdade e eu não sei o que fazer. Estou assustada. Achei que soubesse o que queria e o passo-a-passo do que faria aos meus 22 anos, licenciada em Letras; mas não sei.

Algumas reflexões sobre a trilogia "Jogos Vorazes" de Suzanne Collins

Esse post contem MUITOS SPOILERS!
Hey my lovely readers! Como estão??
Há alguns dias ,eu finalmente me rendi à trilogia "The Hunger Games"! Tinha começado a ler o primeiro livro em 2012, mas não sei por qual motivo... não continuei a leitura. Todo mundo começou a falar muito bem da história, virou febre e tal... mas não me chamava muito a atenção. No entanto, em meu momento atual, resolvi que era hora de ler a trilogia! E... uau.. me apaixonei pelo mundo criado por Suzanne Collins!! Devorei os três livros rapidamente, sendo o meu preferido o segundo: "Em Chamas".
Não vou fazer uma resenha propriamente dita, pois há muitas por aí... Resolvi fazer algo diferente! Como cada um dos livros despertou inúmeras reflexões em mim, tanto pelo fato de que os temas desenvolvidos pela Collins estão presentes também na minha pesquisa de faculdade, quanto pela minha vontade imensa de falar algo sobre Jogos Vorazes.
Antes de iniciar a reflexão, devo dizer que o meu personagem favorito da trilogia é o Peeta s2 ! Ele é muito amor!! É um garoto super gente boa e inteligente que sempre se mantem fiel ao que ele é. Peeta não deixa que as pessoas "superiores" moldem o que ele é.
Quanto à sua amada: muita gente não gosta da Katniss,.. mas ela é a minha segunda favorita (me identifiquei um pouco com a moça e a admiro muito pela coragem e pelo amor. Ok, ela é fria em muitos momentos... e faz um monte de besteiras, mas devemos levar em conta o quanto ela é usada por pessoas "superiores" ao longo dos três livros). Chorei bastante com "A Esperança".... mas como minha amiga Flavinha disse: "é uma distopia, não poderia ter um final suuper feliz!".
Bom, vamos ao que interessa:


Jogos Vorazes é uma distopia e tem como ambientação Panem, uma sociedade dividida em distritos cujo poder se limita ao Presidente Snow, à Capital. 
Na Capital tudo é pura ostentação. O que mais importa para os cidadãos é a aparência, o luxo, a fartura. Eles se enchem de comidas deliciosas e depois vomitam tudo para poder comer mais. Eles se divertem com um reality show, no qual 24 adolescentes são jogados em um lugar terrível e tem que lutar pela sobrevivência, ahh sem contar que apenas um tributo vence e, para isso, é preciso matar os concorrentes. Enquanto, na Capital, as pessoas vivem no bem bom, há cidadãos passando fome nos distritos inferiores. Nesses distritos, há pacificadores que munidos de armas, garantem o cumprimento das leis. Há várias coisas que os cidadãos não podem fazer.
Os Jogos Vorazes são realizados para que o povo se lembre do que acontece com aqueles que tentam se rebelar contra a Capital. 

Eu sabia

Eu olho para o mural de fotos na parede do meu quarto e penso: como algumas pessoas  que eram tão importantes, hoje, não significam quase nada?
Como saber se uma pessoa é realmente confiável ou uma grande representadora? 
Talvez a gente sempre saiba... mas algumas coisas são difíceis de assumir, até para nós mesmos.
É difícil aceitar que aquela amiga não era tão amiga assim, que aquele cara não gostava tanto de você...etc etc etc ad infinitum
Uma das minhas maiores características é sempre enxergar o que há de melhor nas pessoas, por mais que nem mesmo elas enxerguem (isso é tanto uma dádiva quanto uma fraqueza).
Por outro lado, eu sempre sinto quando uma pessoa é de verdade ou não. O problema é quando uma pessoa querida, que até então era verdadeira, passa a ser falsa. Ou pior... quando essa pessoa mostra o que realmente é... e você se recusa a aceitar aquilo.
No entanto, todo mundo cansa algum dia. Até a mais paciente e apaixonada das pessoas.
Você vai enxergando as pistas ao longo dos anos, começa a achar que tem alguma coisa estranha (não, não pode ser...), você percebe, sabe que é a hora de dar um basta.. mas não tem coragem, aquilo vai se acumulando... até que BUM! Não dá mais. A oportunidade perfeita surge.. basta uma briga e você enxerga, vem o impulso. Entre eu e uma """"amizade"""" que me desrespeita e humilha... é lógico que eu escolho a mim. 
Então você percebe que estava de fato certa... Nos momentos de raiva, as pessoas costumam falar verdades, tudo aquilo que está engasgado.
As máscaras caem. E uma vez que decido que a pessoa não merece um pingo dos meus sentimentos, ela morre pra mim. 
As brigas, as lágrimas, as ofensas, todo o nervoso, a mágoa, o rancor, a grosseria, o desrespeito, a "traição"... tudo dói. Mas a dor dura pouco, porque o alívio também vem. O alívio de ter conseguido perceber a falsidade, o alívio de não ter mais aquela pessoa destrutiva te manipulando, fazendo abuso emocional. Então você respira.
E pensa: "eu sabia".

Movie* A Teoria de Tudo

Hi, my lovely readers!! No domingo, finalmente fui assistir o tão esperado filme "A Teoria de Tudo"... que conta um pouquinho da vida de Stephen Hawking (sou fã dele).


Sinopse
Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos.

O filme começa com um Stephen Hawking bem novinho, aluno de cosmologia da aclamada Cambridge. O jovem físico vai à uma festa com seu amigo e companheiro de quarto, e lá conhece Jane Wilde. Os dois começam a conversar e se dão super bem, a partir daí, acompanhamos a evolução desse relacionamento. 

Até eu te encontrar - Graciela Mayrink

Hi, my lovely readers! Como estão? Espero que muito bem!
Hoje, a resenha é sobre um livro que veio parar nas minhas mãos de uma forma bem mágica!
Estava eu passeando pelo Skoob, observando os livros classificados como "destaques", até que um deles me chamou atenção (por três motivos: a capa, a sinopse e o nome da protagonista). Adoro livros que abordam o tema "bruxa" e logo fui caçar mais informações sobre "Até eu te encontrar". Fiquei extremamente animada ao ler a sinopse e saber que a personagem principal tinha o nome da minha querida amiga Flávia. Falei com a Flávia sobre o livro e fomos pesquisar o preço.
No dia seguinte, na Bienal do Livro de Sampa, avistei "Até eu te encontrar" em promoção e quase dei pulinhos de alegria! Fiquei ainda mais feliz ao saber que a autora estava lá dando autógrafos. Comprei um exemplar de presente para minha amiga Flávia (e me arrependi por não ter levado um para mim também haha)! A Graciela foi super atenciosa e escreveu um recadinho muito amor para a Flavinha! 

E então...no começo desse ano, tive a oportunidade de finalmente ler o famoso livro (a Flávia, aliás, adorou)! 

Até Eu Te EncontrarSinopse
O quanto uma mudança de cidade pode afetar uma vida? Você acredita em alma gêmea? Como você se sentiria se não gostasse do grande amor da sua vida?
É o que Flávia vai descobrir ao deixar Lavras, onde mora com os tios desde o acidente que matou seus pais, quando era criança.
Aos dezoito anos, ela decide estudar Agronomia na Universidade Federal de Viçosa, trocando o sul de Minas pela Zona da Mata do mesmo Estado na esperança de uma "mudança de ares".
Em sua nova vida, ela conhece Sônia, amiga de infância de sua mãe e agora sua vizinha, que lhe conta a história de sua família materna, até então desconhecida para Flávia.
Embora o passado não seja sua maior preocupação, Flávia reluta em aceitar seu destino e ainda precisa superar uma paixão não correspondida pelo seu melhor amigo. Para se ver livre dessa rejeição, ela tenta atrair sua alma gêmea para Viçosa e descobre que o grande amor de sua vida é uma pessoa que ela não suporta.
Fonte: Skoob

Primeiramente, temos contato com a nova rotina de Flávia, que está prestes a iniciar sua vida como caloura na UFV. Juntamente com a moça, vivenciamos a experiência de estudar em uma nova cidade e,ainda por cima, lidar com a desafiadora vida universitária. Foi gostoso ler acerca disso, pois relembrei os meus tempos de caloura na Unicamp (e ao contrário de Flávia.. não tive muita sorte com a aula trote haha!). Logo, a personagem, começa a se ambientar no local, faz novos amigos...e também grandes descobertas.
A ruivinha logo se dá bem com Felipe, um dos veteranos da universidade. A amizade dos dois começa a crescer e, através dele, ela conhece outras pessoas. Uma rede de relações é construída na história, o que deixa o leitor extremamente curioso. Flávia não vai parar em Viçosa por acaso. A moça acaba conhecendo muito sobre si mesma e sua família. Ela se depara com grandes mistérios e, além disso, tem de lidar com toda a correria da vida de estudante! Ahhh esqueci de mencionar as questões do coração... que, é claro, sempre influenciam nossas vidas. Sônia, a vizinha de Flávia, é uma personagem maravilhosa! A meu ver, ela auxilia muito bem a nossa querida protagonista e, aos poucos, a introduz em um tema bastante complicado. É Sônia quem toca no assunto "almas gêmeas". Será que a alma gêmea de Flávia é quem ela está pensando? Será que tudo o que parece ser realmente é? Quais são os mistérios acerca da família da moça? 

Book* Eleanor & Park - Rainbow Rowell

Hi my lovely readers!! Acabei de ler Eleanor & Park e pensei "caramba, preciso escrever agora mesmo sobre esse livro (que mal acabei e já considero pacas!). Entrou para minha lista de favoritos! Eu não me sentia tão empolgada com uma história desde Um Dia.


SinopseEleanor & Park:   Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.
Fonte: Skoob

O livro se inicia com um pequeno texto que me incentivou ainda mais a lê-lo, porque eu queria descobrir onde aquele fragmento se encaixava na história de Eleanor e Park.
A história começa no ônibus da escola, no qual conhecemos Park, um garoto que prefere ficar quieto no seu banco.. com seus fones de ouvido a todo vapor, de modo que a música abafe o barulho do ambiente. Até que uma aluna nova entra no ônibus... Eleanor, Eleanor esquisita com seu porte físico diferente dos estereótipos de protagonista, Eleanor de cabelos volumosos cacheados e ruivo, Eleanor usando roupas "bizarras", Eleanor tentando enfrentar o constrangimento daquele ônibus.
Todos começam a olhar para a menina e é lógico que há aquelas pessoas sem graça que ficam fazendo piadinhas, ninguém quer ceder lugar. Por acaso (ou destino), o único banco no qual Eleanor vê possibilidade (ainda que ínfima) é aquele do lado do asiático idiota. Park fala ríspido "senta aí!" (não foi exatamente com essas palavras), a garota senta..